ENSINO DE FILOSOFIA E A ESCRITA DE SI: CONTRIBUIÇÕES DA FILOSOFIA NA FORMAÇÃO DO JOVEM CONTEMPORÂNEO

  • Marcelo Donizete de BARROS (USP)
Palavras-chave: Ensino de filosofia. Escrita. Jogos de linguagem. Leitura.

Resumo

Qual é o lugar da escrita no ensino da filosofia no Ensino Médio? Trata-se de uma reflexão sobre a escrita filosófica, viabilizada pela leitura de quem intenciona a escrita e não pela leitura para saber, isto é, para acumular ou reproduzir conhecimento. O que se constata, é que a escrita é uma das atividades essenciais do filosofar e possui caráter formador que precisa ser valorizado. Raros são os pensadores que não escreveram e, além do mais, vive-se num contexto em que ela, num sentido geral, é onipresente. A escrita filosófica, no nível da formação média, pode ser um contraponto às várias modalidades de produções disponíveis, caracterizadas pela velocidade e superficialidade. Sua consistência, tempo e modo de elaboração servem como resistência ao descartável. Sua finalidade é produzir sentido, nesse jogo de linguagem que é a filosofia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Donizete de BARROS (USP)

O Laboratório Editorial foi instituído com o objetivo de criar condições e oportunidades para a difusão de pesquisas e tornar públicos os resultados dos trabalhos do corpo docente da FFC. Constitui-se num órgão adjunto à Diretoria da FFC e vinculado à SAEPE, com o apoio da Seção Gráfica, da Diretoria, da Biblioteca, e das Seções de Finanças, Compras e Técnica Acadêmica. A função do Laboratório Editorial é a de assessorar, planejar, realizar e distribuir livros, periódicos e outras publicações elaboradas na FFC.

E-mail: labeditorial@marilia.unesp.br 

Publicado
2014-12-17
Seção
Artigos