HANNAH ARENDT: AS REVOLUÇÕES MODERNAS E O PROBLEMA DO ABSOLUTO

  • Jhonny Juliani Doutorando em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)
Palavras-chave: Hannah Arendt, Revolução Americana, Revolução Francesa

Resumo

Este texto analisa as proposições de Hannah Arendt em relação às revoluções modernas e o problema do absoluto. Para tanto, centra-se no capítulo cinco, Fundamento II: Novus Ordo Saeclorum, do livro Da Revolução. A análise mostrou que a autora tem uma interpretação ímpar das revoluções modernas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, H. Da Revolução. Brasília: UnB, 1988.

MONTEAGUDO, R. Apresentação à Carta ao marquês de Mirabeau. Cadernos de Ética e Filosofia Política, São Paulo, v. 2, p. 115-116, 2000.

ROUSSEAU, J-J. Carta ao marquês de Mirabeau. Cadernos de Ética e Filosofia Política, São Paulo, v. 2, p. 117-122, 2000.
Publicado
2011-07-30
Seção
Artigos