SOBRE A FUNÇÃO MEDIADORA DA TERCEIRA CRÍTICA NO CORPUS CRÍTICO DE KANT

Palavras-chave: Kant, Crítica, Estética, Teleologia, Juízos

Resumo

O presente artigo tem por objetivo principal analisar o papel mediador que a Crítica da Faculdade do Juízo cumpre em relação aos domínios teórico e prático da tarefa crítica de Kant. Os limites estabelecidos pela crítica ao domínio teórico da razão em relação à sua pretensão natural em se estender para além da experiência possível torna-se positivo quando aplicado ao domínio prático, de onde é possível inferir a existência de uma faculdade legisladora espontânea em relação à cadeia causal natural. Essa faculdade legisladora deve ser admitida como algo que está para além do conjunto dos fenômenos (natureza), pois do contrário, estaria sobre as mesmas regras causais que os determinam e não seria espontânea. No entanto, fica a pergunta acerca de como é possível que algo inerente ao âmbito suprassensível (numênico) possa interferir no âmbito sensível (fenomênico), como no caso da explicação da causalidade livre. Pretendemos apontar de maneira breve o modo como Kant vê numa crítica da faculdade do gosto a possibilidade de mediação entre aqueles dois âmbitos, de modo que possamos entender sua função auxiliar tanto para juízos teóricos como para juízos práticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

KANT, I. – “Gesammelte Schriften”. Hrsg.: Bd. 1-22 Preußische Akademie der Wissenschaften, Bd. 23. Deutschen Akademie der Wissenschaften zu Berlin, ab Bd. 24 Akademie der Wissenschaften zu Göttingen. Berlin / New York: Walter de Gruyter, 1900-.

______. – “Werke in sechs Bänden”. Hrsg. von Wilhelm Weischedel. Darmstadt: Wissenschaftliche Buchgesellschaft, 1983.

______. “Critica da Razão Pura” – 7a Edição. Tradução de Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

______. _. “Crítica da Razão Prática”. –3a Edição. Tradução e notas de Valério Rohden. – São Paulo: Editora WFM Martins Fontes, 2011.

______. “Crítica da Faculdade do Juízo”. –3 a Edição. Tradução de Valério Rohden e António Marques. – São Paulo

______. “Prolegómenos a toda Metafísica Futura”. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1987.

______. “Escritos Pré-Críticos”. Tradução de Jair Barboza... [et al.]. –São Paulo: Editora UNESP, 2005.

BURNHAM, D. “Introduction to Kant's Critique of Judgement”. –Edinburgh: Edinburgh University Press, 2000.

HÖFFE, O. “Immanuel Kant”. Trad. de Christian Viktor Hamm e Valério Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

LOPARIC, Z. “Acerca da sintaxe e da semântica dos juízos de gosto”. –In: PEREZ, Daniel Omar (Org.) “Kant no Brasil”. – São Paulo: Editora Escuta, 2005.

ROSSI, P. “A ciência e a filosofia dos modernos: aspectos da Revolução Científica”. –nTradução Álvaro Lorencini. – São Paulo: Editora UNESP, 1992.
Publicado
2020-07-21
Seção
Artigos