Aprendizagem da criança: relação entre a BNCC e a Teoria Histórico Cultural

Palavras-chave: Base Nacional Comum Curricular, Educação Infantil, Teoria Histórico Cultural

Resumo

O artigo aborda o processo de aprendizagem da criança de acordo com Base Nacional Comum Curricular e como a Teoria Histórico Cultural explica esse processo, especificamente analisa os pontos em comuns e ou divergentes no que diz respeito a educação dos pequenos. Compreende-se que o conceito de criança passou por diferentes caracterizações e ou descrições ao longo da história da humanidade. Os resultados apontam que, de certa forma, esse conceito era definido de acordo com o contexto histórico, social e político quando a elaboração das legislações vigentes em cada período da história. No Brasil, a partir da Constituição Federal de 1988, foram institucionalizados direitos para a criança, dentre eles, o direito à educação e, baseado nessa lei, outras foram sendo implementadas até o que se tem na atualidade: a Base Nacional Comum Curricular, uma normativa que reconhece a criança em suas múltiplas etapas de aprendizagem, porém, não esclarece o que fazer de fato para que a criança aprenda e se desenvolva de forma integral, um dos princípios da Teoria Histórico Cultural.

Recebido em: 29/02/2020.
Aprovado em: 28/04/2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sinara Almeida da Costa, Universidade Federal do Oeste do Pará

Doutora em Educação pela (Universidade Federal do Ceará, 2011); professora da Universidade Federal do Oeste do Pará.

Jéssica Alves Tapajós, Universidade Federal do Oeste do Pará

Mestranda em Educação (UFOPA); possui graduação em Pedagogia (Universidade Federal do Oeste do Pará, 2016) e licenciatura plena em Música (Universidade do Estado do Pará, 2011).

Referências

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LCT, 1981.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 10 de outubro de 2019.

BRASIL, MEC. Base Nacional Comum Curricular, BNCC. Brasília, DF: MEC, 2017.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

MELLO, S.A. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 83-104, 2007.

KRAMER, Sônia. (org.) Profissionais de Educação Infantil. Gestão e formação. São Paulo: Ática, 2008.

TEIXEIRA, S. R.; BARCA, A. P. A. Teoria Histórico-Cultural: concepções para orientar o pensar e o agir docentes. In: COSTA, S. A.; MELO, S. A. (org.). Teoria Histórico-Cultural da Educação Infantil: conversando com professoras e professores.1. ed. Porto Alegre: CRV, 2017. p. 29-39.

VIGOTSKI, L.S. O desenvolvimento psicológico na infância. 1º ed. Martins Fontes, São Paulo, 1988.

VIGOTSKI, L.S. Obras Escogidas III: problemas del desarrollo de la psique. Madrid: Visor, 1995.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.

VIGOTSKI, L.S. Psicologia pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2003.

VIGOTSKI, L.S. Estudo do desenvolvimento dos conceitos científicos na infância. In: ______. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, p. 241-394, 2009.
Publicado
2020-07-03
Seção
Artigos