A Base Nacional Comum Curricular e os Projetos Pedagógicos das Escolas Escolas Católicas: aproximações possíveis

Palavras-chave: Base Nacional Comum Curricular, Escolas Católicas, Humanização da Educação

Resumo

Considerando o caráter normativo da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e, por conseguinte, as inexoráveis implicações de suas proposições sobre os currículos das escolas católicas, impõe-se a exigência de se problematizar a adequação dos currículos desses estabelecimentos de ensino aos postulados da Base, assegurando, a essas instituições, coerência com seus projetos educativos. Assim, este artigo, elaborado a partir de uma pesquisa qualitativa, de natureza exploratória, procura encontrar pontos de aproximação entre as concepções pedagógicas subjacentes à BNCC e ao Magistério Eclesial, por meio do estudo comparativo entre a própria Base e documentos da Congregação para a Educação Católica. Tendo em vista a relevância outorgada por essas duas instâncias ao sentido humanizador da educação, conclui-se que tanto a BNCC quanto o Magistério da Igreja sublinham a necessidade de se alargar a noção de educação escolar, alcançando a ideia de formação humana plena, no horizonte da característica de intencionalidade de um currículo que se organiza segundo o paradigma das competências.

Recebido em: 06/02/2020.
Aprovado em: 15/05/2020.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Eduardo Duarte Novais, PUC/SP

Doutorado em Educação (PUC/SP, 2020); professor da Escola Católica Querigma (São Carlos, SP).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modali-dades no âmbito da Educação Básica. 2017a. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 dez. 2017. Seção 1, p. 41-44.

__________. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Base Nacional Comum Curricular. 2017b.
Disponível em: . Acesso em: 7 jan. 2020.

CHIZZOTTI, A.; CASALI, A. M. D. O paradigma curricular europeu das competências. Cader-nos de História da Educação, Uberlândia, v. 11, n. 1, p. 13-30, jan./jun. 2012.

CONGREGAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO CATÓLICA. A escola católica. 19 mar. 1977.
Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

__________. O leigo católico, testemunha da fé na escola. 15 out. 1982. Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

__________. Dimensão religiosa da educação na escola católica. Orientações para a reflexão e a revisão. 7 abr. 1988. Disponível em:
. Acesso em: 10 jan. 2020.

__________. A escola católica no limiar do terceiro milênio. 28 dez. 1997. Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

__________. As pessoas consagradas e a sua missão na escola. Reflexões e orientações. 28 out. 2002. Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

__________. Educar hoje e amanhã. Uma paixão que se renova. Instrumentum laboris. 7 abr. 2014. Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

__________. Educar ao humanismo solidário. Para construir uma “civilização do amor” 50 anos após a Populorum progressio. 16 abr. 2017.
Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

CONSELHO EPISCOPAL LATINO-AMERICANO (CELAM). Documentos do CELAM. Conclusões das Conferências do Rio de Janeiro, Medellín, Puebla e Santo Domingo. São Paulo: Paulus, 2004.

DELORS, Jacques (coord.). Educação, um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional da Educação para o Século XXI. Brasília, UNESCO; São Paulo: Cortez, 1997.

FRANCISCO. Discurso do Papa Francisco aos estudantes e professores das escolas italianas. 10 mai. 2014. Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

__________. Discurso do Papa Francisco aos participantes na Plenária da Congregação para a Educação Católica (para as Instituições de Estudo). 9 fev. 2017. Disponível em:
. Acesso em: 8 jan. 2020.

GIMENO SACRISTÁN, J. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed, 1999.

__________. O currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed, 3ª ed., 2000.

MARITAIN, J. Rumos da Educação. Rio de Janeiro: Agir, 5ª ed., 1968.

NOVAIS, L. E. D.; SILVEIRA, N. D. R. Educação humanizadora: escola na visão cristã católica e a concepção das teorias curriculares críticas. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 15, n. 4, p. 1234-1266, 2017.
Publicado
2020-07-03
Seção
Artigos