A Concepção de Gestão na Formação Escola de Gestores da Educação Básica do MEC: uma análise do programa

  • Tania da Costa Fernandes Universidade Estadual de Londrina - UEL/PR
  • Juliana Utrera França Universidade Estadual de Londrina - UEL/PR
Palavras-chave: Gestão Escolar, Programa Escola de Gestores, Neoliberalismo

Resumo

Resultante de uma pesquisa bibliográfica e documental e pautado numa abordagem crítica materialista, este artigo tem como objetivo apresentar aspectos gerais que caracterizam o curso de especialização em gestão escolar, oferecido pelo Ministério da Educação, no Programa Escola de Gestores da Educação Básica, problematizando sua concepção de gestão. Como resultado da análise, verifica-se que as diretrizes do curso se ancoram, sobretudo, numa concepção neoliberal, com destaque para a gestão gerencialista, que se justifica necessária para corresponder às novas demandas para a educação. Contudo, ao considerar que esta concepção gerencialista se opõe aos princípios da gestão democrática – garantida na Constituição Federal (1988) e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), 1996 – e, por isso, reduz a formação continuada de gestores escolares aos ditames da competitividade, produtividade e meritocracia, o artigo busca colaborar para a reflexão de educadores e gestores quanto às potencialidades e fragilidades de uma formação conforme o perfil definido no programa escola de gestores da educação básica.

Recebido em: 16/02/2018.
Aprovado em: 13/06/2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tania da Costa Fernandes, Universidade Estadual de Londrina - UEL/PR
Doutora em Educação pela PUC/SP.  Docente e Pesquisadora do Departamento de Educação e do Programa de Pós-Graduação – Mestrado em Educação. Área de Políticas e Gestão da Educação. Centro de Educação, Comunicação e Artes- CECA. Universidade Estadual de Londrina – UEL/PR.  Coordenadora de curso de graduação em Pedagogia e pós-graduação lato sensu em Gestão Escolar. Orientadora de projetos de pesquisa e extensão. Orientadora de estágio supervisionado. Avaliadora institucional e de cursos do Ministério de Educação (INEP/MEC). Avaliadora de cursos no Sistema Estadual de Educação do Paraná. Líder do Grupo de Pesquisa/CNPQ- Políticas Públicas, Currículo, Gestão e Sociedade. Coordenadora do Projeto de Pesquisa-Políticas de Gestão na Educação Superior: um estudo sobre a legislação e os órgãos de gestão e colegiados superiores. Coordenadora do Programa de Estudos Complementares em Currículo e Gestão da Educação (PROEGE).
Juliana Utrera França, Universidade Estadual de Londrina - UEL/PR
Pedagoga pela UEL/PR. Pós graduanda na Especialização em Docência no Ensino Superior pela UEL/PR. Professora da Educação Básica.

Referências

BRASIL. MEC. Projeto de Curso de Especialização em Gestão Escolar (Lato Sensu). Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=877-projeto-pdf&category_slug=documentos-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 20 jun. 2017.
______. ______. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. Diretrizes Nacionais do Curso de Pós-graduação em Gestão Escolar. Programa Nacional Escola de Gestores da Educação Básica. Brasília, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Escgest/es_diretr.pdf. Acesso em: 20 jun. 2017.
______. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. 18. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2002.
______. Casa Civil. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Seção I. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, v. 134, n. 248, p. 27833-27841, 23 dez. 1996. Brasília: MEC, 1996.
______. Presidência da República, Câmara da Reforma do Estado. Plano Diretor da Reforma do Aparelho de Estado. Brasília, 1995. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/publicacoes-oficiais/catalogo/fhc/plano-diretor-da-reforma-do-aparelho-do-estado-1995.pdf/view. Acesso em: 29 jan. 2017.
CABRAL NETO, A.; CASTRO, A. M. D. A. Gestão Educacional na América Latina: delineamentos e desafios para os sistemas de ensino. In: EYNG, A. M.; GISI, M. L. (Org.). Política e gestão da educação superior: desafios e perspectivas. Ijuí: Ed. Unijuí, 2007.
COMPARATO, K. Fábio. Capitalismo: civilização e poder. Estudos Avançados, São Paulo, vol. 25, n. 72, mai./ago. 2011.
APPOLINÁRIO, F. Para onde caminha o estudo do comportamento organizacional? Revista de Economia e Administração. São Paulo, v.7, n.3, p. 262-267, jul./set. 2008.
DOURADO, Luiz Fernando. Políticas de Gestão da Educação Básica no Brasil: limites e perspectivas. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 28, n. 100, Especial, p. 921-946, out. 2007.
LIMA, Antonio; PRADO, Jeovandir; SHIMAMOTO, Simone. Gestão Democrática, Gestão Gerencial e Gestão Compartilhada: Novos Nomes Velhos Rumos. ANPAE. Simpósio, 2011. Disponível em: http://anpae.org.br/simposio2011/cdrom2011/PDFs/trabalhosCompletos/comunicacoesRelatos/0069.pdae, 2011. Acesso em: 19 jun. 2017.
PARO, Vitor Henrique. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 763-778, set./dez. 2010.
SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, jan./abr. 2007.
Publicado
2019-06-28
Seção
Artigos