A rede de apoio à educação inclusiva em Jataí-Go: limites e possibilidades

  • Eveline Borges Vilela-Ribeiro Universidade Federal de Jataí
  • Maria Aparecida Gomes Vieira Universidade Federal de Jataí / Licenciada em Química
Palavras-chave: Rede de Apoio à Inclusão, Educação Inclusiva, Profissionais de Apoio

Resumo

Baseados nos princípios da educação inclusiva enquanto educação para todos, investigamos o perfil dos profissionais de apoio da Rede de Apoio à Inclusão das escolas estaduais no município de Jataí-GO. Os constituintes da rede de apoio responderam a um questionário com questões discursivas sobre quais as concepções que fundamentam seu trabalho, bem como a realidade cotidiana laboral. Os dados consultados mostraram um total de 60 estudantes com deficiência e transtorno global de desenvolvimento e 25 profissionais de apoio. Os dados foram analisados a partir da Análise de Conteúdo (BARDIN, 2004) e emergiram duas categorias principais “Função do Profissional de Apoio” e “Relações”. De modo geral, as categorias mostraram uma formação inicial eclética dos profissionais de apoio. Os intérpretes de LIBRAS apresentaram uma característica diferente dos demais profissionais, que foi a falta de formação continuada oferecida pela rede estadual de educação. Além disso, os profissionais de apoio se sentem responsáveis também pelo convívio social dos estudantes, bem como de sua comunicação em sala de aula.

Recebido em: 12 de setembro de 2019
Modificado em: 06 de novembro de 2019
Aceito em: 13 de dezembro de 2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eveline Borges Vilela-Ribeiro, Universidade Federal de Jataí

Doutora em Química pela Universidade Federal de Goiás; Licenciada em Química e Mestre em Ensino de Ciências; Professora Adjunta da Universidade Federal de Goiás - Regional Jataí, Unidade Acadêmica Especial de Ciências Exatas, curso de Química.

Maria Aparecida Gomes Vieira, Universidade Federal de Jataí / Licenciada em Química

Discente do Curso de Química da Universidade Federal de Goiás.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos