ANÁLISE DO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO MUNICÍPIO DE SERROLÂNDIA – BAHIA

Palavras-chave: Educação Especial, Atendimento Educacional Especializado, Trabalho docente

Resumo

O objetivo do presente artigo foi analisar o Atendimento Educacional Especializado oferecido pelo município de Serrolândia/BA. De acordo com informações obtidas junto a secretaria de educação no ano de 2018, o AEE possui trinta alunos matriculados e quatro professoras que compõem o quadro de docentes. Dos trinta alunos, dezoito são do sexo masculino e doze do sexo feminino, com idades variando entre 4 a 34 anos e 23 deles possuem diagnóstico médico. Todas as docentes foram contactadas e aceitaram participar do nosso estudo, respondendo um questionário com perguntas fechadas e múltipla escolha. Sobre as professoras que atuam no AEE, nota-se uma grande experiencia na área de educação de todas elas, apesar da maior parte ter sido feito no ensino básico regular. Por conta da proximidade com o tempo de aposentadoria vigente, é importante que a gestão municipal já comece a se preocupar com novos profissionais que substituirão as atuais professoras em caso de aposentadoria. Sobre a estrutura física, observa-se que alguns pontos ainda necessitam ser melhorado, com atenção especial as adaptações físicas de banheiro, rampa etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osni Oliveira Noberto da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Mestre e Doutorando em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor do Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus IV. Lider do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação Especial e Educação Física Adaptada (GEPEFA/UNEB).

Márcio dos Santos Ferreira, Universidade do Estado da Bahia

Licenciado em Educação Física e Especialista em Atividade Física para pessoas com deficiência, ambos pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Integrante do Grupo de estudos, pesquisa e extensão em Educação Especial e Educação Física adaptada (GEPEFA).

Theresinha Guimarães Miranda, Universidade Federal da Bahia

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, com pós-doutorado pela Umeå University, Suécia. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Integrante do Grupo de estudos sobre Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais (GEINE).

Miguel Angel Garcia Bordas, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Filosofia pela Universidad Complutense de Madrid, com pós-doutorado pela Universitat Autònoma de Barcelona, Espanha. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Integrante do Grupo de estudos sobre Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais (GEINE).

Publicado
2019-07-29
Seção
Artigos