Jogo educacional digital como meio de compreensão de crianças e adolescentes hospitalizados sobre os procedimentos de punção venosa

  • Adriana Garcia GONÇALVES Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
  • Stefany Gabrielly Pereira de SOUZA Universidade Federal de São Carlos - UFSCar
Palavras-chave: Educação Especial, Classe Hospitalar, Criança Hospitalizada, Tecnologia Educacional

Resumo

A hospitalização da criança/adolescente gera momentos de estresses, medos e anseios, especialmente pelos procedimentos ao qual é submetida, como o procedimento de punção venosa, fazendo com que ela se sinta ameaçada pela invasão dolorosa, tornando o hospital um local de privações e distanciamento de suas atividades cotidianas e escolares. O acesso e uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), por meio dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA), permite realizar a aproximação da criança/adolescente às atividades e vida fora do hospital. O objetivo geral deste estudo foi identificar se o jogo educacional digital pode contribuir para melhor entendimento por parte da criança/adolescente hospitalizado acerca dos procedimentos de punção venosa que é submetido durante o período de hospitalização, bem como sua satisfação e a opinião dos profissionais da saúde. Participaram da pesquisa três profissionais da saúde que realizavam o procedimento de punção venosa em crianças/adolescentes e 12 crianças/adolescentes hospitalizados. A coleta de dados foi realizada por etapas, sendo a primeira análise do jogo educacional digital por profissionais da saúde e a segunda avaliação do jogo junto à criança/adolescente. A análise de dados da primeira etapa se deu de forma descritiva a partir das respostas dos participantes, e da segunda etapa foi realizada a triangulação dos dados obtidos por meio do questionário e dos diários de campo. Os resultados apontaram que o jogo educacional digital contribui para o auxílio do entendimento da criança/adolescente hospitalizada sobre o procedimento de punção venosa, tanto na opinião dos profissionais da saúde, quanto na opinião das próprias crianças/adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Garcia GONÇALVES, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Docente do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial (PPGEEs) e Curso de Licenciatura em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP: Contato: adrigarcia33@yahoo.com.br

Stefany Gabrielly Pereira de SOUZA, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Discente do Curso de Licenciatura em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos, SP. Bolsista de Iniciação Científica. Contato: stefany_gsouza@hotmail.com

Publicado
2018-12-21
Seção
Fluxo Continuo