Prospecção de material didático utilizado no processo de ensino-aprendizagem de pessoas com deficiência

  • Selí da Costa MOURAO Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)
  • Edilane Figueiredo COSTA Universidade Federal da Bahia (UFBA)/Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)
  • Ana Cristina Viana CAMPOS Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)
  • Diógenes Henrique SIQUEIRA-SILVA Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)
  • Sidnei Cerqueira dos SANTOS Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)
Palavras-chave: Educação Especial, Inclusão, Acessibilidade, Análise Tecnológica, Patente

Resumo

O desenvolvimento de métodos pedagógicos tem sido essencial no processo de ensino-aprendizagem da pessoa com deficiência, mas ainda é difícil identificar, avaliar e socializar o grau de aprovação, impactos e possibilidades destas metodologias. A prospecção tecnológica é uma ferramenta usada para mapear as tecnologias existentes, visando contribuir para planejamento estratégico nas diversas áreas. Nesse contexto, o objetivo do trabalho foi realizar uma análise tecnológica de material didático aplicado no processo de ensino-aprendizagem da pessoa com deficiência. A pesquisa de patentes foi realizada no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e no Espacenet, base de dados europeia. O escopo foi elaborado a partir da seleção de quatro palavras-chave e de um código da Classificação Internacional de Patente. Das 275 patentes analisadas, apenas 71 faziam parte do objeto da pesquisa. A evolução anual de depósitos de patentes teve crescimento acentuado a partir de 2004, sendo o Brasil o país com maior número de depósito de patentes. A Fundação Universidade Regional de Blumenau se destacou no desenvolvimento de produtos de acessibilidade pedagógica e os inventores brasileiros foram os principais protagonistas. Das deficiências avaliadas, mais de 70% dos produtos encontrados foram para a deficiência visual. Os recursos computacionais foram destaque quanto ao tipo inovação pedagógica para pessoa com deficiência. O estudo de prospecção tecnológica pode contribuir para avanços no processo de ensino-aprendizagem da pessoa com deficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Selí da Costa MOURAO, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Licenciada em Ciências Naturais, Instituto de Ciências Exatas (ICE) da Unifesspa

Edilane Figueiredo COSTA, Universidade Federal da Bahia (UFBA)/Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS); Bacharel em Direito pela Universidade do Estado da Bahia (UEBA); Técnica-Administrativa em Educação do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão Acadêmica da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

Ana Cristina Viana CAMPOS, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Professora da Faculdade de Saúde Coletiva, Instituto de Estudos em Saúde e Biológicas, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa); Bacharel em Odontologia pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM); Mestre e Doutora em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Diógenes Henrique SIQUEIRA-SILVA, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Professor da Faculdade de Biologia, Instituto de Estudos em Saúde e Biológicas da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa); Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho’ (UNESP); Mestre e Doutor em Biologia Animal pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho’ (UNESP).

Sidnei Cerqueira dos SANTOS, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Professor da Faculdade de Biologia, Instituto de Estudos em Saúde e Biológicas, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa); Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Católica do Salvador (UCSal); Mestre em Biotecnologia pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e Doutor em Biotecnologia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Publicado
2018-12-21