ANÁLISE DE JOGOS VIRTUAIS DO TIMOCCO PARA USO EM AMBIENTE TERAPÊUTICO

  • Ariane Lopes Araújo Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA
  • Camila Boarini dos Santos Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA http://orcid.org/0000-0001-5594-0305
  • Alexandre Ponce de Oliveira Faculdade de Tecnologia de Lins Professor Antonio Seabra
  • Rita de Cássia Tibério Araújo Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA http://orcid.org/0000-0002-1463-1175
  • Aila Narene Dahwache Criado Rocha Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA http://orcid.org/0000-0001-6186-875X

Resumo

Jogos virtuais são utilizados como ferramenta complementar no ambiente terapêutico, permite a vivência de diversas situações de maneira individualizada e encoraja a participação ativa. Além disso, proporciona um ambiente motivador para a aprendizagem e facilitar o desenvolvimento de habilidades e capacidades perceptuais. Há uma grande variedade de jogos virtuais disponíveis no mercado, fator que dificulta o conhecimento das possibilidades de uso que cada um oferece. Descrevê-los, quanto aos aspectos terapêuticos, facilitaria o processo de escolha e utilização pelos profissionais. Assim, o estudo teve como objetivo verificar e descrever os jogos do Timocco em relação às habilidades motoras, cognitivas, sensoriais e comunicativas envolvidas em sua execução e propor adaptações que possam ser realizadas no ambiente terapêutico. Os jogos foram executados por uma fisioterapeuta e duas terapeutas ocupacionais que estabeleceram aspectos a serem observados e descritos. O estudo concluiu que a plataforma interativa proporciona recursos adequados para o aprimoramento das habilidades motoras, cognitivas, sensoriais e comunicativas. Além disso, dispõe de configurações e ferramentas que ampliam o público usuário e auxiliam o profissional a acompanhar, conduzir e adaptar o plano terapêutico de forma a potencializar o alcance dos objetivos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ariane Lopes Araújo, Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA

Fisioterapeuta e possui aprimoramento em Fisioterapia na Interface da Saúde e Educação (Fisioterapia aplicada às necessidades da Educação Especial) pela Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP – campus de Marília – São Paulo, Brasil

Camila Boarini dos Santos, Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA

Terapeuta Ocupacional. Mestranda junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação. Pesquisadora do Laboratório de Acessibilidade, Tecnologia Assistiva e Inclusão (LATAI) da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP – campus de Marília – São Paulo, Brasil.

Alexandre Ponce de Oliveira, Faculdade de Tecnologia de Lins Professor Antonio Seabra

Professor doutor, dos Cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Jogos Digitais e Sistemas para Internet da Faculdade de Tecnologia de Lins Professor Antonio Seabra, Lins – São Paulo, Brasil

Rita de Cássia Tibério Araújo, Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA

Terapeuta Ocupacional. Professora Doutora do Curso de Terapia Ocupacional - Departamento de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” –  UNESP- campus de Marília – São Paulo, Brasil.

Aila Narene Dahwache Criado Rocha, Faculdade de Filosofia e Ciências - UNESP/MARÍLIA

Terapeuta Ocupacional. Professora Doutora do Curso de Terapia Ocupacional - Departamento de Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Coordenadora do Laboratório de Acessibilidade, Tecnologia Assistiva e Inclusão (LATAI) da Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP – campus de Marília – São Paulo, Brasil.

Publicado
2019-07-29
Seção
Artigos