Autores, obras e temas da esquerda brasileira e portuguesa sob a perspectiva do projeto cultural da revista Atlântico

  • Alex Gomes da Silva USP
Palavras-chave: Salazarismo, vanguardismo, revista Atlântico, intelectuais brasileiros e portugueses

Resumo

A revista Atlântico foi parte integrante de um projeto maior açambarcado por Portugal e Brasil no começo da década de 1940. Fundada em 1942 a revista Atlântico tem como propugnadores o diretor do Secretariado da Propaganda Nacional (SPN) de Portugal, António Ferro, e o diretor do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), Lourival Fontes. A presente pesquisa, que abrange o período de 1941 (ano da assinatura do Acordo Cultural luso-brasileiro) a 1945 (que marca tanto o fim da vigência do DIP quanto o término da primeira fase de Atlântico), pretende discutir a idéia defendida por seus articulistas de que a “natureza” da revista Atlântico, isto é, por ser um periódico de “cultura, de literatura e de arte”, “abstêm-se de tratar dos problemas sociais, políticos ou econômicos do mundo moderno, até quando dizem respeito à vida do Brasil ou de Portugal”. Ademais, pelo fato de congregar um feixe de intelectuais bastante diversificado, a análise sistemática da revista Atlântico objetiva avaliar e compreender a maneira pela qual autores e obras aparecem no corpo da publicação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alex Gomes da Silva, USP
Doutorando em História do Programa de Pós Graduação em História Social da Universidade de São Paulo (USP). Bolsista CAPES. 
Seção
Artigos