Brazilian Journal of Information Science: research trends http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis <p>A revista Brazilian Journal of Information Science: Research Trends (BRAJIS) -- ISSN 1981-1640 -&nbsp; é uma revista com periodicidade trimestral, publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"- UNESP, campus de Marília-SP.&nbsp;A Brazilian Journal of Information Science (BRAJIS), iniciou sua publicação com o v.0, n.0, de junho/dezembro de 2006.&nbsp;Publica apenas textos originais como: artigos de pesquisa e resenhas relativos à área de Ciência da Informação. Os textos submetidos para publicação devem ser escritos em português, inglês ou espanhol.&nbsp;</p> <p>A revista possui uma política de avaliação no sistema "blind review", e cada texto será encaminhado para avaliação por pelo menos dois <em>referees</em>.</p> <p>A BRAJIS é um periódico de acesso aberto.</p> <p>Copyright (c) Brazilian Journal of Information Science: research trends</p> <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license"><img src="http://i.creativecommons.org/l/by-sa/4.0/88x31.png" alt="Creative Commons License"></a><br>This work is licensed under a&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license">Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License</a>.&nbsp;</p> Graduate Program in Information Science of UNESP - São Paulo State University - Brazil pt-BR Brazilian Journal of Information Science: research trends 1981-1640 <p>Submeter um artigo à revista Brazilian Journal of Information Science, dá plenos direitos à revista para publicação do referido texto, ou seja, o(s) autor(es) concordam automaticamente com a sua publicação. A responsabilidade do conteúdo do artigo é inteiramente do autor.</p> <p>A BRAJIS adota o&nbsp;&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license">Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License</a></p> <p>Copyright (c) Brazilian Journal of Information Science: research trends</p> <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license"><img src="http://i.creativecommons.org/l/by-sa/4.0/88x31.png" alt="Creative Commons License"></a><br>This work is licensed under a&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/" rel="license">Creative Commons Attribution-ShareAlike 4.0 International License</a>.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> EDITORIAL http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/9036 <p>.</p> José Augusto Chaves Guimarães ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 4 4 10.5016/brajis.v13i2.9036 INFORMAÇÃO INSTITUCIONALIZADA E MATERIALIZADA COMO DOCUMENTO http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8932 <p>A pesquisa indaga sobre os caminhos para viabilizar uma construção conceitual acerca da materialidade e da institucionalidade da informação, fenômenos concernentes à transformação do objeto em documento. Objetiva (a) fundamentar e (b) sintetizar caminhos para a investigação dos fenômenos; e (c) edificar um quadro de articulações conceituais sobre a informação materializada e institucionalizada como documento. Para tanto, lançou mão de revisão de literatura, estabelecendo vínculos interdisciplinares, epistemológicos e políticos, tocantes às ciências da documentação e da informação. A pesquisa empregou, ademais, elementos teórico-metodológicos de Imre Lakatos como subsídio para a proposição de um programa de investigação, estruturante para o ordenamento e a articulação das escolhas teórico-metodológicas. Contando com contribuições de obras de Habermas, Foucault, Weber e Bourdieu, tais escolhas perpassam fundamentações de “pretensões de validade, práticas discursivas e horizontes políticos”, de “materialidade sociocultural, simbólico-burocrática e políticas de informação”, do “objeto-suporte e materialidade de ações e práticas informacionais” e dos “contextos epistemológico e políticos: materialidade/institucionalidade/representação”. Os caminhos e as articulações conceituais culminaram no núcleo do programa, a partir do qual se pode observar que o documento é um valor informacional que se atribui ao objeto, ou seja, é o produto da significação ou da função atribuída a uma coisa em determinada institucionalidade. Assim, a materialidade do documento transcende a fisicalidade da informação num suporte, à medida que todo documento: (a) representa algo e pode ser representado; (b) é uma expressão simbólica de poder/saber. Por fim, o documento é um produto de ações e práticas sociais, sendo definido por institucionalidades da informação as quais têm o acesso e as condições de atuação condicionadas por perspectivas de materialidade.</p> Rodrigo Rabello ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 5 25 10.5016/brajis.v13i2.8932 SUBJETIVIDADES DIGITAIS http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8611 <p>Este artigo, de caráter teórico e&nbsp;desenvolvido via método bibliográfico, objetiva a apresentação de parte de uma agenda de pesquisa que situa a materialidade dos artefatos digitais a partir de sua constituição como dispositivos de experiência capazes de abarcar situações políticas, éticas, filosóficas, econômicas, culturais etc. Para tal, a discussão teórica envolve os conceitos de experiência, dispositivo e subjetividade, através de autores como Michel Foucault, Gilles Deleuze, Félix Guatarri, entre outros, possibilitando confronto com a questão digital. Como perspectiva, ao argumentar sobre a discursividade dos dispositivos de experiência a partir da sua capacidade de agenciar, fazer circular e produzir sentidos de comunicação em espaços e tempos próprios, levanta a necessidade de discussão sobre as micropolíticas que os dispositivos de experiência proporcionam na construção de sujeitos.</p> Jackson da Silva Medeiros ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 26 35 10.5016/brajis.v13i2.8611 OS ASSUNTOS GÊNERO E SEXUALIDADE http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8876 <p>Este artigo traz uma análise comparativa sobre a representação temática dos assuntos Gênero e Sexualidade entre o sistema SophiA, da Biblioteca Nacional – BN, e o sistema Pergamum, da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. O objetivo da pesquisa foi analisar comparativamente como os assuntos Gênero e Sexualidade estão sendo representados nos sistemas da BN e da UFPE. A justificativa baseia-se na proposta de uma representação adequada dos assuntos Gênero e Sexualidade, para que a busca e a recuperação sejam mais precisas tanto no SophiA/BN quanto no Pergamum/UFPE, por parte dos usuários desse domínio. A pesquisa foi caracterizada como exploratória, com características comparativas, qualitativas e indutivas; tratando-se de um estudo de caso que visou compreender e interpretar se os termos que foram atribuídos a determinados títulos da temática se adéquam de forma eficiente aos assuntos que de fato são tratados por eles. Os corpora investigativos foram coletados em duas etapas: a) a partir da busca pelos assuntos “Identidade de Gênero”, “Sexualidade” e “Gênero e Sexualidade” no SophiA/BN, foi criada uma lista dos títulos encontrados em relação à temática em âmbito nacional, de 2010 a 2014; b) os títulos recuperados no SophiA/BN foram pesquisados no Pergamum/UFPE, gerando uma segunda lista – dos títulos que foram encontrados; assim, as obras resultantes dessas duas filtragens, quer dizer, as que se encontram em ambos acervos, tiveram seus termos analisados comparativamente em conjunto com os termos que foram extraídos dos próprios títulos e respectivos exemplares. Após análise e discussão dos resultados, concluiu-se que os assuntos Gênero e Sexualidade não estão sendo explorados de maneira precisa, nem pelo sistema SophiA/BN nem pelo sistema Pergamum/UFPE, levantando questões acerca da importância da especificidade da indexação dessa temática e da ética profissional necessária nesse processo de promover acesso à informação.</p> Fabio Assis Pinho Letícia Alves Félix de Melo Jéssica Pereira de Oliveira ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 36 47 10.5016/brajis.v13i2.8876 ASPECTOS RELEVANTES DA ARQUIVÍSTICA CONTEMPORÂNEA NO ÂMBITO DA ORGANIZAÇÃO DO CONHECIMENTO NO BRASIL http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8117 <p>O objetivo do estudo é identificar elementos teórico-práticos de Arquivística presentes no&nbsp; âmbito da produção cientifica em Organização e Representação do Conhecimento no Brasil por meio de uma análise dos Anais da ISKO Brasil entre 2011 e 2017. O estudo justifica-se pelas possibilidades de avanço tanto teórico-práticos das aproximações conceituais e metodológicas entre a Arquivística e a ORIC em vista da melhoria da qualidade da recuperação da informação. O levantamento identificou uma presença crescente de temas de processamento técnico em Arquivística na dimensão Aplicada e uma escassez de abordagens na dimensão Epistemológica e Social.</p> Leolíbia Luana Linden, Ms. William Barbosa Vianna, Dr. Marisa Basílio Brascher Medeiros, Dra. ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 48 58 10.5016/brajis.v13i2.8117 PANORAMA DAS PATENTES DEPOSITADAS NO BRASIL http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8639 <p>Os documentos de patentes configuram importantes fontes de informação, além de sua relevância industrial e econômica. O presente estudo analisa o depósito de patentes no Brasil, a partir dos maiores depositantes de patentes indexadas na base de dados Derwent Innovations Index (DII), no período de 2004 a 2016. O estudo é patentométrico com abordagem quantitativa e caráter descritivo, tendo o <em>corpus</em> formado pelos registros das patentes depositadas no Brasil, no escritório brasileiro de registro de patentes – Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) –, e que foram indexadas na base DII, no período destacado. A coleta dos dados resultou em um total de 208.064 registros. A partir dos registros coletados, criou-se uma base de dados em MySQL (sistema de gerenciamento de banco de dados) e utilizou-se <em>softwares</em> —Excel, Thesa e Vosviewer — para a padronização dos nomes das instituições depositantes de patentes, análise, mensuração e apresentação dos resultados. Ao longo do estudo, verificou-se predomínio de empresas multinacionais entre as maiores depositantes de patentes no Brasil, vinculadas às áreas da saúde, tecnologia de informação e eletrônica.</p> Ana Maria Mielniczuk de Moura Rene Faustino Gabriel Junior Ana Paula Medeiros Magnus Fernanda Bochi Santos Verônica Barboza Scartassini ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 59 68 10.5016/brajis.v13i2.8639 INFORMAÇÃO PARA AUTONOMIA EM NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E TECNOLOGIA http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8319 <p>Contextos denominados como ecossistemas de negócios, inovação, empreendedorismo e startups fomentam alto volume e diversidade de dados, informações e conhecimentos necessários para as tomadas de decisão constantes nesses ambientes. Dessa maneira, a identificação das demandas informacionais emergentes de ambientes denominados como ecossistemas pode contribuir para a autonomia dos atores envolvidos, na realização de suas atividades. Considera-se nesta pesquisa os estudos sobre necessidades e demandas informacionais centradas em usuários, pessoas e organizações, para interagirem no ambiente por meio da informação. Por meio de pesquisa qualitativa e descritiva, foram identificadas demandas informacionais, tais como: mapeamento de fontes de informação pertinentes; identificação de ferramentas e mecanismos para integrar os vários tipos de informação; busca e/ou projeto de sistemas interativos de informação; identificação de momentos-chave nos processos existentes; representação e descrição de informação e conhecimento; caracterização de comportamento pessoal e informativo. Conclui-se que as demandas informacionais oriundas das informações pertinentes aos ecossistemas de negócios, inovação, empreendedorismo e startups requerem do profissional da informação reflexão crítica sobre a disponibilização e preparo para a utilização das ferramentas e mecanismos de promoção do acesso e uso das informações, a fim de promover a ação autônoma dos atores integrantes desses ambientes.</p> Priscila Machado Borges Sena Igor Soares Amorim Ursula Blattmann ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 69 77 10.5016/brajis.v13i2.8319 ATTITUDE OF INMATES TOWARDS THE PRISON LIBRARY http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/8295 <p><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Information has been a veritable mechanism in the constant search for knowledge so as to attain developmental objectives. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">In the same vein, information is vital in the life of all individuals towards the realization of socio-political, economic, and developmental goals, it also serves just the same importance for the survival of incarcerated persons. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Adopting correlational study method, this study seeks to define the attitude of inmates toward the prison library and its effect on their psychological wellbeing. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Two prisons - Port Harcourt Maximum Prison, Rivers State and Oko Prison, Benin City, Edo State, both in Nigeria, were selected for the study. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">From the population of convicted inmates in both prisons, 440 males and females were randomly sampled to generate data.</span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">A structured questionnaire divided into two sections - attitude scale and psychological wellbeing scale, was used in data collection. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Out of the 440 sampled inmates, 393 responded correctly to the questionnaire resulting to 89% response rate. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">Data was collated and analyzed using descriptive analysis of mean and standard deviation, and linear regression. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">The results indicated that inmates in both prisons have a positive attitude towards the prison library, and they are also psychologically adjusted in prison. </span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">The result also reveals that there is a high positive relationship between inmates' attitude towards the prison library and its psychological wellbeing (r = .540).</span></span></span><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;"><span style="vertical-align: inherit;">The study concludes that bibliotherapy can further enhance the effectiveness of other reformation and rehabilitative programs for inmates, and therefore, recommends that the penal system should embrace bibliotherapy as a rehabilitation program for the reformation and rehabilitation of societal offenders.</span></span></span></span></p> Helen Uzoezi Emasealu ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 2019-06-28 2019-06-28 13 2 78 91 10.5016/brajis.v13i2.8295