Contribuição metodológica dos estudos métricos da informação para a análise da interdisciplinaridade nas ciências ambientais

Palavras-chave: Comunicação Científica, Interdisciplinaridade, Métodos Bibliométricos, Ciências Ambientais

Resumo

Por meio de levantamento bibliográfico, o artigo apresenta uma reflexão sobre os aspectos teóricos conceituais sobre interdisciplinaridade e estudos métricos da informação e suas inter-relações com o desenvolvimento das Ciências Ambientais. Apresenta o surgimento das Ciências Ambientais, que foi uma resposta para a complexidade dos problemas ambientais, face à indissociabilidade entre sistemas antrópicos e naturais, que estão relacionados a problemas econômicos e sociais mediados pela ciência e tecnologia. Tais aspectos trouxeram à área características interdisciplinares intrínsecas, que foram retratadas em orientações específicas para observação da interdisciplinaridade nos programas de pós-graduação, mas sem o esclarecimento de como estes fatores seriam verificados. Observou-se que os estudos métricos da informação podem ser um indicativo para o desenvolvimento de indicadores interdisciplinares, sendo assim a contribuição deste artigo residiu em apresentar e validar um protocolo metodológico, com objetivo de gerar indicadores de análise para compreensão da interdisciplinaridade nos programas de pós-graduação da área de Ciências Ambientais, fundamentado nos estudos métricos da informação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Belmont de Farias Cavalcanti, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)

Mestrado em Ambiente, Tecnologia e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Semiárido
Pós-graduada Lato Sensu em Biblioteconomia pela Faculdade Internacional Signorelli
Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Bibliotecária na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)
http://lattes.cnpq.br/3721807478679915

 
Breno Ricardo de Araújo Leite, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Mestrado em Ciências e Tecnologias Espaciais pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)
Mestrando no Programa de Pós-graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (PROFNIT/UFSC)
Pós-graduação Lato Sensu em Geoprocessamento pela Universidade de Brasília (UNB)
Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Pública pela Universidade da Força Aérea (UNIFA)
Graduação em Ciências Aeronáuticas pela Academia da Força Aérea (AFA)
Atualmente é aluno no Mestrado Profissional de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação na Universidade Federal de Santa Catarina (PROFNIT/UFSC)
http://lattes.cnpq.br/8793321901301171

 
Gabriela Belmont de Farias, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina
Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Docente de graduação e pós-graduação da Universidade Federal do Ceará
http://lattes.cnpq.br/9393190768810116

 

Referências

Araújo, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. // Em Questão. 12:1 (jan./jun. 2006) 11-32. http://revistas.univerciencia.org/index.php/revistaemquestao/article/viewFile/3707/3495 (2017-03-10).
Associação Brasileira de Normas Técnicas (2011). NBR 14724: informação e documentação: trabal-hos acadêmicos: apresentação. Rio de janeiro, 2011.
Brasil (2011). Ministério do meio ambiente. Brasília, 2011. http://www.mma.gov.br/governanca-ambiental/informacao-ambiental/sistema-nacional-de-informacao-sobre-meio-ambiente-sinima/indicadores (2017-02-08).
Brasil (2016). Ministério da Educação. Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. Documento de avaliação da área: ciências ambientais. Brasília, 2016.
Fazenda, I. C. A. (1996). Práticas interdisciplinares na escola. 3. Ed. São Paulo: Cortez,1996.
Fazenda, I. C. A. (2003). Interdisciplinaridade: qual o sentido? São Paulo: Paulus, 2003.
Fernandes, V.; Sampaio, C. A. C. (2008). Problemática ambiental ou problemática socioambiental? A natureza da relação sociedade/meio ambiente. // Desenvolvimento e Meio Ambiente (UFPR). 18: (2008) 87-94, http://revistas.ufpr.br/made/article/viewFile/13427/9051 (2018-03-27).
Franco, M. de A. R. (2008). Planejamento ambiental para a cidade sustentável. 2. Ed. São Paulo: Anna blume, 2008.
Hargreaves, A. (2004). O ensino na sociedade do conhecimento: educação na era da insegurança. Por-to Alegre: Artmed, 2004.
Hayashi, C. R. M. (2013). Apontamentos sobre a coleta de dados em estudos bibliométricos e ciento-métricos. // Filosofia e Educação, 5:2 (2013) 89-101.
Igami, M. P.Z. (2011). Elaboração de indicadores de produção científica com base na análise ciento-métrica das dissertações e teses do INPE. 2011.179f. Tese (doutorado) – Instituto de Pesquisas Energé-ticas e Nucleares – IPEN-CNEN/SP, São Paulo, 2011. http://repositorio.ipen.br:8080/xmlui/handle/123456789/8930/browse?value=igami%2c+mery+p.z.&type=author (2017-04- 14).
Japiassu, H. (1976) Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de janeiro: imago, 1976.
Kobashi, N.; Santos, R.N. M. (2006) Arqueologia do trabalho imaterial. // ENANCIB, 7, 2006. Marília, São Paulo. Anais... Marília: UNESP, 2006.
Leite, F. et al. (2012). Boas práticas para a construção de repositórios institucionais da produção cien-tífica. Brasília: Ibict, 2012. http://livroaberto.ibict.br/handle/1/703 (2019-09-16).
Leff, E. (2002). Epistemologia ambiental. 2. Ed. São Paulo: Cortez, 2002.
Macias-Chapula, C. A. (1998). O papel da infometria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. // Ci. Inf., 27: 2 (1998) 134-140. http://www.tce.sc.gov.br/files/file/biblioteca/o_papel_da_infometria.pdf (2017-6-6).
Magalhães, E. M. (2005). Interdisciplinaridade: por uma pedagogia não fragmentada, 2005. www.ichs.ufop.br/anaisimemorial %20do%20ichs/ (2017-11-14).
Medeiros, J. M. G.; Vitoriano, M. A. V. (2011). A evolução da bibliometria e sua interdisciplinaridade na produção científica brasileira. // RDBCI. 13:3, (set./dez. 2011). https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/issue/view/704 (2017-08- 06)
Noronha, D. P.; Maricato, J. O. M. (2008). Estudos métricos da informação: primeiras aproximações.// Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, 13: Esp. (2008) 116-128, http://www.brapci.inf.br/v/a/5005. (2018 -04-11).
Organização das Nações Unidas (1992). Agenda 21: conferência das nações unidas sobre o meio am-biente e desenvolvimento. Rio de janeiro, 1992. http://www.onu.org.br/rio20/img/2012/01/agenda21.pdf. (2018-03-25) .
Organização das Nações Unidas (2012). O futuro que queremos: conferência das nações unidas sobre desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro, 2012. http://www.un.org/ga/search/view_doc.asp?symbol=a/res/66/288&lang=e (2018-03-25).
Pádua, J. A. (2010). As bases teóricas da história ambiental. // Estudos Avançados [on-line] 24:68 (2010). http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=s0103-40142010000100009&lng=en&nrm=iso. (2018-03-25).
Philippi Jr, A. et. al (2000). Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus, 2000. http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/us000001.pdf (2018-03-27).
Philippi Jr, A. et. al (2013). Desenvolvimento sustentável, interdisciplinaridade e ciências ambientais. // Revista Brasileira de Pós-graduação, 10:21. (2013) 509 - 533. http://ojs.rbpg.brasil.gov.br/index.php/rbpg/article/viewfile/423/353 (2018-03-27).
Pombo, O.; Guimarães, H. M.; Levy, T. (1994). A interdisciplinaridade: reflexão e experiência. Lis-boa: texto, 1994.
Prodanov, C. C.; Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pes-quisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad-1538f3aef538/Ebook%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf (2019-09-16).
Rostaing, H. (1996). La bibliométrie et ses techniques. Tolouse: sciences de la société,. 1996. http://www.master-vti.fr/web/img/pdf/la_bibliometrie_et_ses_techniques.pdf (2017-08-06).
Silva, D. J. da (2000). O paradigma transdisciplinar: uma perspectiva metodológica para a pesquisa ambiental l. // Philippi, A. Jr. et al. Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus Editora, 2000. http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/us000001.pdf (2017-06-06).
Silva, M. R. da et. al (2011). Análise bibliométrica e cinetométrica: desafios para especialistas que atuam no campo. // Rev. Ci. Inf. E Doc., Ribeirão Preto, 2:1 (jan./jun 2011) 110-129. http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/42337 (2017-07-2017).
Vieira, P. H. F. (2009). Políticas ambientais no Brasil: do preservacionismo ao desenvolvimento sus-tentável. // Política & Sociedade, 8:14 (2009) 27-78 https://periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/viewfile/2175-7984.2009v8n14p27/10954 (2018-03- 27).
Publicado
2019-12-17
Como Citar
Cavalcanti, D., B. Leite, e G. Farias. Contribuição Metodológica Dos Estudos Métricos Da Informação Para a Análise Da Interdisciplinaridade Nas Ciências Ambientais. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends, Vol. 13, nº 4, Dec. 2019, p. 89-12, doi:10.36311/1981-1640.2019.v13n4.06.p89.
Seção
Artigos
Bookmark and Share