Biblioteca escolar inclusiva

Análise acerca do transtorno do espectro autista

Palavras-chave: Transtorno do Espectro Autista, Biblioteca Escolar, Biblioteca Inclusiva, Tecnologia Assistiva, Atuação Bibliotecária

Resumo

O crescimento vertiginoso de pessoas autistas origina desafios para a sociedade como um todo e, a biblioteca escolar não poderia se eximir de tais responsabilidades. No Brasil, os dados referentes ao autismo serão revelados pela primeira vez no Censo 2020, pois o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística estão realizando o levantamento do censo voltado para este público. O artigo apresenta uma análise sistemática realiza na produção científica da área da Biblioteconomia e Ciência da Informação sobre a temática - o transtorno do espectro autista e a atuação da biblioteca escolar. Com intuito de identificar as ações inclusivas que podem ser propostas na biblioteca para a inclusão destes alunos. O percurso metodológico utilizado foi à revisão sistemática da literatura de 17 artigos recuperados na Base de Dados em Ciência da Informação, para a análise dos dados foi utilizado o método da análise temática. Os resultados apontaram uma carência de publicações sobre transtorno do espectro autista na área da Biblioteconomia e Ciência da Informação. Constatamos que a inclusão desses alunos é um campo riquíssimo e desafiador para investigações futuras.  As tecnologias assistivas, recursos lúdicos e a educação continuada do bibliotecário são grandes aliadas para uma biblioteca escolar inclusiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Kelly Oliveira Sampaio, Escola Espaço Aberto

Bibliotecária Escolar. Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Ceará.

Gabriela Belmont de Farias, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Ciência da Informação. Docente do Programa de Pós-Graduação e do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal do Ceará. Líder do Grupo de pesquisa Competência e Mediação em Ambientes de Informação.

Referências

Bento, António V. “Como fazer uma revisão da literatura: Considerações teóricas e práticas”. Revista JA (Associação Académica da Universidade da Madeira), vol. 7, no. 65, mai. 2012, pp. 42-44.

Brasil. Decreto nº 6.949, de 25 de Agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007.

Brasil. Lei n.º 13.861, de 18 de julho de 2019. Institui as especificidades inerentes ao transtorno do espectro autista nos censos demográficos, e altera o art. 17 da Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989. Brasília, DF, 2019.

Brasil. Lei n.º 12.764, de 27 de novembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista? e altera o § 3o do art. 98 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Brasília, DF, 2012.

Brasil. "Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País". Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, 25 mai. 2010.

Brasil. Portaria nº555, de 2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007. Política Nacional da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008.

Centers for Disease Control and Prevention. Increase in Developmental Disabilities Among Children in the United States. 2018.

Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10; Descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Artes Médicas,1997.

Cunha, E. Autismo e inclusão: psicopedagogia e práticas educativas na escola e na família. 4 ed. Rio de Janeiro: Wak, 2016.

Diagnostic and Statistical Manual of Mental disorders - DSM-5. 5 ed. American Psychiatric Association, 2014.
Ferrari, Pierre. Autismo Infantil: o que é e como tratar. Paulinas, 2007.

Gaiato, Mayra and Teixeira, Gustavo. O Reizinho Autista: Guia para lidar com comportamentos difíceis. Versos, 2018.

International Federation of Library Associations. Diretrizes da IFLA para Biblioteca Escolar. 2016.

Klin, Ami. “Autismo e síndrome de Asperger: uma visão geral”. Revista Brasileira de Psiquiatria, vol. 28, supl. 1, mai. 2006, pp. 3-11.

Marcolino, M. A. R. and Castro Filho, C. M. “O bibliotecário na biblioteca escolar e os usuários especiais: o desafio da inclusão.” Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, vol. 10, n. Especial, 2014.

Santos, M. P. and Diniz, C. N. “A inclusão dos usuários com transtorno de espectro autista pela prática do letramento informacional na biblioteca escolar.” Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, vol. 23, no. 1, 2018, pp. 92-106.

Storti, V. R. et al. "Promover a acessibilidade aos deficientes visuais e baixa visão à rede de bibliotecas da Unesp”. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 10, no. Especial, 2014.

Surian, Luca. Autismo: Informações essenciais para familiares, educadores e profissionais de saúde. Paulinas, 2010.
Publicado
2020-09-04
Como Citar
Sampaio, R. K., e G. Farias. Biblioteca Escolar Inclusiva. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends, Vol. 14, nº 3, Sept. 2020, p. e020007, doi:10.36311/1940-1640.2020.v14n3.10302.
Bookmark and Share