A inserção internacional da cidade de Uberlândia-MG: um processo em evolução

The internationalization of Uberlândia City-MG: a process in evolution

  • Armando Gallo Yahn Filho Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Uberlândia-MG, Atores subnacionais, Internacionalização de cidades, Paradiplomacia pública, Governança multinível

Resumo

 A globalização ampliou a participação de outros atores nas relações internacionais, tais como governos subnacionais e diversas instituições não governamentais (ONGs, empresas, universidades etc.). Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é demonstrar, com um estudo de caso da inserção internacional de Uberlândia-MG, que uma cidade pode se internacionalizar com a participação de diversos atores, por meio de uma governança multinível. Ademais, tomando-se como referência a definição de cidade internacional, de Panayotis Soldatos – que aponta ser a paradiplomacia pública um dos critérios para se chegar a esta característica –, demonstra-se, também, o fato de que Uberlândia-MG vem avançando na sua internacionalização, mesmo sem a existência de uma paradiplomacia pública. Este trabalho também utiliza o método prospectivo de Michel Godet, a fim de criar um simples cenário de médio prazo para a inserção internacional de Uberlândia-MG, baseando-se nos chamados “fatos portadores de futuro”. Nesse sentido, ao se observar as ações que já vêm sendo colocadas em prática, por diversos atores, ao longo dos últimos 18 anos – ressaltando a criação, em 2017, de uma Câmara Técnica para fins de internacionalização, numa instituição municipal não governamental (o CODEN), com a participação do setor privado, das universidades, da sociedade civil e do governo municipal –, é possível visualizar um cenário de evolução, cada vez maior, dessa internacionalização, até o final da próxima década. Afinal, isso criou uma pressão natural sobre o governo municipal, a fim de que ele começasse a participar, efetivamente, dessa inserção internacional, por meio de uma paradiplomacia pública que também fortalecerá esse processo.

 

 

Abstract: The globalization process has expanded the participation of other actors in the international relations, such as subnational governments and many non-governmental institutions (NGOs, private corporations, universities etc.). In this sense, the objective of this paper is to demonstrate – taking a case study about the international insertion of Uberlândia City, in the State of Minas Gerais, Brazil – that a city can be International with the participation of many actors, through multi-level governance. Moreover, taking as reference Panayotis Soldatos´ definition of international city – which considers the public paradiplomacy as one of all factors needed to reach that characteristic –, it is also demonstrated the fact that Uberlândia City has evolved in its process of internationalization, even without the existence of a public paradiplomacy. This paper also utilizes some basic principles from the Michel Godet´s prospective method, in order to elaborate a simple mid-term scenario for the internationalization of Uberlândia City, based on the “fact bearer of future”. Then, observing many actions that have already been put into practice by several actors along the last 18 years – highlighting the creation of a Technical Chamber for internationalization, inside a local institution (CODEN), in 2017, which is composed by private sector, universities, civil society and local government –, it is possible to elaborate a scenario that indicates the evolution of this internationalization until the end of the next decade. Eventually, it was created a natural pressure on the municipal government to participate effectively in the process of international insertion, elaborating a public paradiplomacy, which will further strengthen this process.        

Keywords: Subnational actors, internationalization of cities, public paradiplomacy, multi-level governance, Uberlândia City.

 

 

Recebido em: agosto/2018.
Aprovado em: novembro/2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACHE, I.; FLINDERS, M. Themes and issues in multi-level governance. In: BACHE, Ian; FLINDERS, Matthew (Ed.). Multi-level governance. Oxford: Oxford University Press, 2004. p. 1-11.

BRANDÃO, Carlos Antônio. Triângulo: capital comercial, geopolítica e agroindustrial. Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: UFMG, 1989.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, 2015. Disponível em: http://www.mdic.gov.br/. Acesso em: 20/5/2015.

CHIARA, Márcia de. Sonae investe em novo shopping. O Estado de S. Paulo, 5 ago 2008. Disponível em: http://acervo.estadao.com.br/pagina/#!/20080805-41930-nac-34-eco-b15-not/busca/M%C3%A1rcia+Chiara+Sonae. Acesso em: 21/5/2017.

COSTA, Yunkler P. Mário. A inserção internacional dos atores subnacionais como estratégia de desenvolvimento: um estudo de caso da cidade de São Paulo. Trabalho de Monografia. Uberlândia: UFU, 2014.

GODET, M.; DURRANCE, P. A prospectiva estratégica: para as empresas e os territórios. Paris: DUNOD; UNESCO; Fondation Prospective et Innovation, 2011.

GUIMARÃES, Eduardo Nunes. Formação e desenvolvimento econômico do Triângulo Mineiro: integração nacional e consolidação regional. Uberlândia: EDUFU, 2010.

HOWLETT, M.; RAMESH, M.; PERL, A. Studying Public Policy: policy cycles & policy subsystems. 3.ed. Don Mills: OUP Canada, 2009.

MARCIAL, E.; GRUMBACH, R. Cenários prospectivos: como construir um futuro melhor. 5.ed., Rio de Janeiro: FGV, 2008.

MARKS, G.; HOOGHE, L. Contrasting visions of multi-level governance. In: BACHE, Ian; FLINDERS, Matthew (Ed.). Multi-level governance. Oxford: Oxford University Press, 2004. p. 15-30.

MINAS GERAIS. Estado leva benefícios a Uberlândia. Imprensa Oficial, Belo Horizonte, 9 mar. 2010. Disponível em: http://www.iof.mg.gov.br/index.php?/acao-do-governo/acao-do-governo-arquivo/Estado-leva-beneficios-a-Uberlandia.html. Acesso em: 20/3/2018.

PEREIRA, Keila Patrícia. O estabelecimento do Entreposto da Zona Franca de Manaus em Uberlândia e a inserção internacional da cidade à luz do reescalonamento do Estado-nação e da governança multinível. Trabalho de Iniciação Científica. Uberlândia: UFU, 2013.

RODRIGUES, Gilberto M. A. Política Externa Federativa: análise de ações internacionais de Estados e Municípios brasileiros. Tese de Doutorado. São Paulo: PUC-SP, 2004.

SEMEGHINI, Ulysses C. Do café à indústria: uma cidade e seu tempo. Campinas: Editora Unicamp, 1991.

SOLDATOS, Panayotis. La nouvelle génération de villes internationales: phénomène de segmentation dês roles traditionnels de l´état-nation. In: PHILIP, Christian; SOLDATOS, Panayotis (Ed.). Au-delà et en deçà de l´état-nation. Bruxelas: Bruylant, 1996. p. 203-236.

UBERLÂNDIA CONVETION & VISITORS BUREAU. Website Oficial, 2015. Disponível em: http://www.uberlandiacvb.com.br/portal/. Acesso em 20/3/2018.

PETRY, Rodrigo. Walmart investirá R$ 80 mi em Minas Gerais, em 2011. Revista Exame, 31 maio 2013. Disponível em: http://exame.abril.com.br/negocios/walmart-investira-r-80-mi-em-minas-gerais-em-2011/. Acesso em: 20/3/2018.

YAHN FILHO, Armando Gallo. Relações internacionais e atores subnacionais: a Região Metropolitana de Campinas. Campinas: Átomo e Alínea, 2013.

YAHN FILHO, Armando Gallo et al. (Orgs.). A inserção internacional de Uberlândia: análise da evolução de um processo e um cenário prospectivo do mesmo. Pesquisa financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG (CSA–APQ-00421-12). Uberlândia: UFU, 2015. Disponível em: https://www.academia.edu/2439462/Relaçoes_Internacionais_e_atores_subnacionais_um_estudo_de_caso_da_insersao_internacional_de_Uberlandia-MG. Acesso em: 20/3/2018.
Publicado
2019-02-11
Seção
Artigos