Pressupostos metodológicos do populismo

Palavras-chave: Tipo ideal, Weffort, Chave liberal de leitura negativa, Crítica metodológica

Resumo

O presente trabalho procura investigar o conceito de populismo aprofundando a análise chasineana que o concebe como um tipo ideal. Construído mediante um largo processo temporal, que parte de preocupações com a particularidade da modernização capitalista das relações de classe na América Latina, o conceito vai encontrar em Francisco Weffort uma sistematização que o consolidará enquanto agrupamento individual elencado pelos valores do pesquisador, tal como orienta Weber. Assim, a crítica de raiz metodológica percebe que o conceito se localiza dentro do horizonte liberal, uma vez que suas análises parametram a realidade pela antinomia entre sociedade civil e Estado, onde o populismo, irracional por não se apresentar conformado pelas instituições intermediárias clássicas da democracia liberal, é visto como culto ao poder carismático e demagógico do líder estatal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Sartoretto, Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) – UNESP/campus de Marília

Cientista Político e doutorando em Ciências Sociais, pela UNESP - Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília.

Publicado
2019-12-20
Seção
Encarte Especial