As contribuições de Raymond Williams à teoria social Marxista: a crítica ao modelo base e superestrutura

Palavras-chave: marxismo, base, superestrutura, sociologia da cultura

Resumo

A proposição de uma “base” determinante e uma “superestrutura” determinada marcou a teoria social marxista na primeira metade do século XX. Em nosso trabalho, pretendemos examinar a crítica de Raymond Williams em relação à aplicação mecânica dessas categorias de análise, projetada em seu ensaio de 1973, intitulado “Base e superestrutura na teoria da cultura marxista”. Para tanto, num primeiro momento, balizaremos o contexto histórico em que a obra de Williams surgiu, e do qual estava dialogando. Num segundo momento, iremos nos concentrar no desenvolvimento da crítica do autor, mobilizando o ensaio em questão. Nossa análise tem como objetivo central projetar uma apresentação do pensamento de Williams, e algumas de suas contribuições no interior do pensamento marxista, sobretudo nas investigações que pretendem se debruçar sobre a produção cultural a partir de uma perspectiva materialista e histórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vinicius Tadeu Milani, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Mestrando em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O trabalho contou com o financiamento da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

Publicado
2019-12-20
Seção
Encarte Especial