“Nenhum poema a menos”

a vida de Susana Chávez contada a partir da teoria ator-rede. Articulações e desafios

Palavras-chave: Teoria Ator-Rede. Susana Chávez. Direitos das Mulheres. Mobilizações femininas.

Resumo

O presente artigo se propõe trazer breves reflexões a respeito da Teoria de Ator-Rede (TAR) apresentada por John Law em sua obra “Notas sobre a Teoria do Ator-Rede: ordenamento, estratégia, e heterogeneidade” (1992) e por Bruno Latour (2012) em sua obra: “Reagregando o Social: uma introdução à Teoria do Ator-Rede” a partir de três momentos da vida de Suzana Chaves: 1) Denúncia dos assassinatos de desaparecimentos de mulheres e a omissão do Estado para resolução dos conflitos; 2) Assassinato de Suzana e o ativismo político gerado a partir de sua morte; 3) Como sua história torna-se um símbolo criando uma narrativa sobre os feminicídios e direitos das mulheres que vai além do contexto local (Cidade Juarez, México). A partir desses três momentos distintos de sua vida, pretendo articular e mostrar como os diferentes atores-redes e atrizes-redes (humanos e não humanos) vão interagindo em cada um desses momentos a partir do papeis que desempenham.

Recebido: 23/04/2019
Aceito: 31/05/2019

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Rodrigues Silva, UNESP

Doutoranda em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília. Mestra em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista, Campus de Marília (2016). É pesquisadora do Laboratório Interdisciplinar de Estudos de Gênero (LIEG/UNESP), membro do Grupo de Pesquisa Cultura e Gênero. Email: camiladaura@gmail.com.

Publicado
2019-07-26
Seção
Dossiê